Lições que aprendi cuidando das minhas suculentas

bahzofilaetc_licoes_suculentas_01

Já faz alguns meses que ganhei minhas suculentas plantinhas gordinhas de aniversário e surpreendentemente elas continuam vivas!

Dentre os vários tipos de plantinhas, estas são consideradas de certa forma fáceis de se cuidar, mas acredito que elas sejam realmente fáceis quando você tem total conhecimento de como esse cuidado “simples” deve ser feito. Claro, como todo ser vivo, elas precisam das condições ideais para crescerem fortes.

Só para esclarecer: sou uma pessoa normal como todo mundo, sem super conhecimentos sobre plantas, especialmente as suculentas. O que compartilho hoje com vocês é tudo fruto dessa vivência com elas. Então vamos lá!


Lição 1 – Pesquise bastante

bahzofilaetc_licoes_suculentas_02

Para começar, suculentas precisam de pouca água e um sol bacana. Essa foi a informação imediata que obtive e comecei confiando nelas. Mas a verdade é bem mais complexa.

Cada tipo de suculenta é diferente: uma espécie vai necessitar de mais ouenos água do que a outra. Então, ao comprar uma plantinha gordinha (ou um conjunto delas), faça uma pesquisa inicial.

Se você for virginiana como eu ou gostar de catalogar coisas e organizar coisas, pode fazer fichinhas das suas plantinhas. Quase uma Pokedex!


Lição 2 – Respeite os intervalos entre as “molhagens”

bahzofilaetc_licoes_suculentas_03

Eu sei que pode ser difícil, principalmente se você tiver outras plantinhas que precisem ser aguadas todos os dias…

Mas é necessário! As suculentas (assim como os cactos) quando regadas em excesso começam a apodrecer pela raiz e vão morrendo. Claro que há formas de se salvar uma suculenta nesses casos, mas melhor evitar que isso aconteça.

Cada tipo de suculenta precisa de uma certa quantidade de água… Plantei uma gordinha nova com as minhas duas primeiras e ela não se adaptou bem… As outras estão crescendo enquanto a terceira parece estar morrendo (vou tentar evivê-la!).


Lição 3 – O clima interfere muito

bahzofilaetc_licoes_suculentas_04

Outra coisa que li por aí é que você precisa molhar as plantinhas com menor frequência  em épocas frias e maior frequência quando está quente.

E é verdade! Mas nenhum lugar vai te contar que frequência é essa. Então. nesses casos é melhor ir testando aos poucos, e sempre evitar molhar demais.


Lição 4 – O substrato importa

É importante, quando for mudar uma suculenta de vaso (ou montar um vaso com várias) , que você respeite todas as camadas necessárias do substrato.

Resumidamente, elas são: pedrinhas ou argila expandida, areia, terra adubada com areia.

Muitas pessoas também recomendas utilizar um substrto pronto para cactos, que vão dar os nutrientes e a drenagem que as suculentas precisam.


Lição 5 – Tenha MUITO cuidado ao manusear mudas

bahzofilaetc_licoes_suculentas_05

Essa foi uma lição muito sofrida, especialmente com a plantinha nova.

As folhas de qualquer suculentas são pouco flexíveis e se soltam facilmente. Muito facilmente. Então ao transplantar a terceira suculenta MUITAS folhas se soltaram, mesmo eu sendo muito cuidadosa. Foi sofrido mas eu aprendi.


Lição 6 – Paciência, muita paciência

Essa é básica no cuidado com qualquer planta, mas para mim tem sido um aprendizado mais demorado.

Sou super controladora e gostaria que as plantinhas demonstrassem mais claramente se estou cuidando direitinho ou não, então fico super preocupada!

Mas é importante ter paciência, respirar fundo e seguir as orientações. Mas nenhuma regra é inflexível e você vai conhecendo as suas plantinhas com o passar do tempo, adaptando o que for necessário.

Também aprendi com essa experiência que sua noção de paciência não é a única medida de tempo.

Sabe todas aquelas folhinhas que se soltaram da terceira plantinha? Pois é… Coloquei todas sobre a terra e deixei para que gerassem novas mudinhas. Fiquei observando por várias semanas e só duas haviam vingado. Acreditei que as outras folhinhas tinham morrido mas não as joguei fora…

Aí, num belo dia, fui dar um oi para as plantinhas e o que eu vejo? Todas as folhinhas deram mudinhas!!!


Não acho que eu tenha desenvolvido um dedo verde (principalmente porque acho que as minhas meninas não estão 100%…).

E vocês? Tem plantinhas gordinhas? Como cuidam delas? Me conta aqui nos comentários!

É isso!

Livros Por Ler – Edição Kindle!

Eu acredito que os amantes de leitura – ou pelo menos a sua maioria – sofre de um problema em comum: acumular livros comprados, emprestados ou baixados para ler. E eu não sou exceção.

Da minha coleção de livros físicos eu acredito ter lido metade só, e olha que tenho um bucadinho de livros. Já tem alguns anos que consegui controlar meu ímpeto de comprar livros novos, mas acredito que isso só tenha sido possível por ter um Kindle (além de ter reduzido minhas visitas casuais a livrarias…).

Quem não gostaria de ter todo o tempo do mundo, todo o dinheiro do mundo para comprar as edições mais lindas dos livros (há tantas edições maravilhosas por aí que merecemos apoiar!) e todo o espaço do mundo para criar bibliotecas bacanas? Infelizmente não tenho nenhum dos três e dinheiro+espaço tem sido bem escasso!

Nessas horas o Kindle me ajuda muito, já que consido achar edições bem baratinhas de livros que amo e também consigo baixar os livros que não faço questão de comprar antes de ler (se o livro for bacana pode acontecer de eu comprá-lo antes mesmo de terminá-lo, como aconteceu com “Mulheres que correm com os Lobos” e “A Menina que Tinha Dons”).

No entanto acabei acumulando muuuuitos livros e resolvi dividir com vocês alguns que estão atualmente no meu Kindle (o colecionismo é tanto que tenho vários outros livros no meu HD externo…) e que gostaria de ler assim que terminar um dos dois livros que atualmente estou lendo! Então vamos lá!


Garota Exemplar – Gillian Flynn

bahzofilaetc_TBR_kindle_garota exemplarMeu plano era ler o livro antes de ver o filme, o que infelizmente acabou não acontecendo. Porém, vi o filme, gostei muito e fiquei sabendo – como pode-se esperar – que o livro é muito³ melhor!

Para quem não sabe, este é um suspense psicológico intenso sobre o desaparecimento de Amy Dunne, sendo que todas as pistas apontam para seu marido, Nick, como o provável suspeito.

Gostei muito da riquesa dos personagens no filme, e de como tudo de desenvolve. Espero que o filme tenha feito jus ao livro!!!


Caixa de Pássaros – Josh Maleman

bahzofilaetc_TBR_kindle_Caixa-de-PassarosOutro suspense! Mas diz a lenda que este aqui é bem aterrorizante!

Na história, todo mundo é acomedido por um surto de suicídio ao se olhar para “alguma” coisa. Ninguém é imune, então todos aparentemente permanecem de olhos fechados, tentando sobreviver. A personagem principal é Malorie, que tem doi filhos pequenos de após cinco anos do começo do surto ela quer fugir para algum lugar onde ela possa criar seus filhos em segurança.

O livro tem sido muito bem recomendado e é pequeno. Esse promete ser uma leitura rápida e muito intensa!


A Mágica da Arrumação: A Arte Japonesa de Colocar Ordem na sua Casa e na sua Vida – Marie Kondo

bahzofilaetc_TBR_kindle_a-mágica-da-arrumação-livroEsse livro já está tão falado na internet que já dá pra conhecer alguns trechos sem ter lido. Sou a louca da arrumação de tudo – arrumo e organizo coisas por diversão – e esse livro parece ser bem a minha cara. Nunca li um livro desse tema, mas promete bastante.

Fala sobre formas de se organizar suas coisas e como que isso influencia nas energias que te circulam e a forma de você lidar com a vida, e como trazer mais alegria. Acho que é isso mesmo!

Pra quem não se sente nem um pouco animado, Jout Jout pode te ajudar. Ó o video dela falando do livro!


O Perfume – Patrick Süskind

bahzofilaetc_TBR_kindle_o perfume*Essa capa não é da edição brasileira, mas ela é tãããããão maravilhosa!*

Mais um suspense… Eu adoro o filme e quero muito ler o livro!

Adoro a forma como que a obssessão dele é guiada por algo muito simples, mas que toma proporções enormes. Jean-Baptiste Grenouille é um órfão que é dotado de um olfato muitíssimo desenvolvido. Ao descobrir que ele pode preservar o perfume de certas coisas, ele se torna obcecado em preservar um perfume bem específico…

Taan taaan TAAAANNNNN!


Deuses Americanos – Neil Gaiman

bahzofilaetc_TBR_kindle_deuses-americanos*Para compensar… eu odeio essa capa…*

Já comecei a ler este livro diversas vezes mas acho que a hora certa ainda não chegou. Mas eu ainda quero lê-lo!

Este livro é muito bem recomendado e já vale a tentativa por ter sido escrito pelo incrível Neil Gaiman. De seus livros eu já li “Os Filhos de Anansi”, “Good Omens” e “Coraline”, além de algumas criações no mundo dos quadrinhos.

Personagens intrigantes e histórias maravilhosas são garantidos quando se trata de Neil Gaiman. Sempre fico maravilhada.

No site da Conrad eles colocam:

Deuses Americanos, o melhor e mais ambicioso romance de Neil Gaiman, é uma viagem assustadora, estranha e alucinógena que envolve um profundo exame do espírito americano. Gaiman ataca desde a violenta investida da era da informação até o significado da morte, mantendo seu estilo picante de enredo e a narrativa perspicaz adotados desde Sandman. Neil Gaiman oferece uma perspectiva de fora para dentro – e, ao mesmo tempo, de dentro para fora – da alma e espiritualidade dos Estados Unidos e do povo americano: suas obssessões por dinheiro e poder, a miscigenada herança religiosa e suas conseqüências sociais, e as decisões milenares que eles enfrentam sobre o que é real e o que não é.

“Simplesmente uma arca do tesouro de histórias. É uma sorte tê-lo em qualquer meio de comunicação.” Stephen King”


Apesar de ter mais do que esses livros aqui na fila de espera, elegi esses cinco para ler assim que terminar “A Moradora de Wildfel Hall”. Só lembrando que essa é a minha listinha para o Kindle, já que gosto de ler livros de papel também! Atualmente estou lendo “Mulheres que Correm com Lobos”, mas por ser uma leitura muito maravilhosa, não estou me apressando em terminar (saboreando cada capítulo).

Se você quiser apoiar os escritores e adquirir e-books, sempre encontro boas promoções na Amazon.com.br.

E vocês? Gostam mais de ler e-books ou livros de papel? Qual o próximo livro na sua lista de livros para ler?

Sobre se perder e se encontrar

Às vezes temos um caminho muito claro a trilhar, com objetivos definidos e algumas rotas alternativas caso seja necessário. Podemos estar recém realizados por superar um desafio, ou por ter conquistado algo muito desejado. Podemos chegar ao ponto de ter passado por uma experiência difícil, talvez termos aprendido a lição e sentir que estamos mais fortes.

E aí algo acontece. Pode ser qualquer coisa, mas essa coisa chega e te tira todo o chão. Pode ser uma coisa que te acerta em cheio como um furacão, de uma vez, ou algo pequeno que gradualmente desencadeia uma bola de neve.

Você se vê correndo atrás daquele sentimento de equilíbrio, de realização, de completude. De repente você não se sente tão forte quanto antes e chega a questionar certas decisões. Você pode chegar a questionar suas próprias conquistas, e até as lições que aprendeu. A dúvida pode ir longe… e te fazer questionar quem você é, o que te motiva, qual seu objetivo na vida.

Aí você se perde. E ajustar o foco daquela imagem tão clara fica difícil. É a sensação de estar suspenso, congelado no tempo, enquanto o mundo continua girando. Quando você se perde a sensação mínima de controle e poder se esvai.

Em tentativas desesperadas olhamos para todos os lados, consideramos todas as alternativas, e percebemos que de tanto correr e tentar abraçar o mundo estamos sem fôlego e muito confusos.

Claro, à medida que os anos passam nós aprendemos muitas coisas e “sabemos” de muitas coisas. “Aprendemos” muitas lições. Mas eu acredito que existem dois níveis de aprendizado: o aprendizado racional, da cabeça; e o aprendizado emocional, do coração.

Já ouvimos dizer várias vezes que “Deus escreve certo por linhas tortas”, ou “para cada porta que se fecha, uma outra se abre” ou qualquer outro ditado similar. Todos já ouvimos, e vários de nós já passaram por experiências desse tipo. Aprendemos racionalmente, com a cabeça, que a vida não segue numa linha reta, por mais que uma linha reta seja exigida de nós.

Então algo acontece e você se vê desolado por um sentimento que você acreditava já ter superado, não sabendo lidar com uma situação com a qual você já conseguiu lidar antes. E é nessas horas que é possível ver que não aprendemos com o coração. Racionalmente sabemos a resposta, sabemos a solução, mas o coração não acompanha a cabeça. Tanto não acompanha que muitas vezes não conseguimos materializar o que a cabeça sabe por bloqueios do coração.

Eu poderia seguir descrevendo o desamparo que é se perder por um longo tempo (também porque sinto que estou neste turbilhão, ao meu modo) mas acho que tudo tem dois lados e sempre é necessário parar, respirar fundo, e tentar enxergar o outro lado da perda.

Se tem uma lição que eu aprendi esse ano – e acredito ter aprendido com o coração – é que todo problema, não importa o quão escabroso ou hediondo, contém nele mesmo a solução. E isso vale para tudo. Problemas financeiros, amorosos, de saúde, tudo. Tentar ver o problema não como o seu inimigo mas como um mensageiro com informações importantíssimas sobre algo foi uma coisa muito difícil que aprendi em 2015.

Acredito que momentos de crise são oportunidades para grandes transformações, mas elas nunca são fáceis. E quão maior ou mais significativa, mais intenso será o processo. Pode ser uma superação emocional, uma aceitação, uma tomada de decisão que demandará muita energia. Mas, se passarmos pelo processo de braços abertos e nos entregarmos, sairemos desse furacão mais fortes.

Se perder pode ser uma nova chance de olharmos para nós mesmos e nos conhecermos melhor. Talvez se perder seja o primeiro passo para nos aproximarmos cada vez mais daquela pessoa que realmente somos.

Vivemos num mundo massacrante, exigente, e acabamos nos tornando pessoas diferentes, distanciadas da nossa essência. Podemos estar tão imersos nessa “pessoa” que precisamos de uma boa sacudida para abrirmos os olhos e voltar a atenção pro que tá lá dentro, o que realmente importa.

Uma das coisas que “me perder” me fez enxergar foi enxergar que o caminho que escolhi não dava espaço para fazer as coisas com as quais eu mais me identifico, e pelas quais e com as quais eu consegui muito evoluir como pessoa. Mais do que isso, que essa escolha foi consciente: que eu mesma me privei das coisas que mais amo no caminho que trilhei. E precisei ser sacudida, sofrer e passar por mais perdas.

Encarar a feia verdade, olhar diretamente nos olhos de Baba Yaga (entendedoras entenderão) é difícil e doloroso, mas necessário. E acredito que para se encontrar é necessário olhar para aquilo que é feio ao nossos olhos, algo que não gostamos, mas que precisamos aceitar; ou ver aquilo que precisa deixar de existir para dar vida a algo novo e deixar que aconteça (novamente, entendedoras entenderão).

Se encontrar também é se permitir recomeçar. E à medida que o tempo passa fica cada vez mais difícil. Digo isso pois esse ano eu fiz 30 anos e a pressão de se ter uma vida resolvida e ser uma pessoa resolvida é enorme. Aprendi nos meus 20 anos a aceitar e buscar recomeços, mas agora a idéia é um “pouco” assustadora.

Nossa, recomeçar aos 30? – Sim, eu posso e você também pode recomeçar aos 20, 30, 40, 50, 60, 70….

E a gente se encontra quando desapegamos da idéia de que nunca deveríamos termos nos perdido. Quando realmente nos entregamos ao processo. Quando desapegamos de conceitos como controle, conforto, e evolução em linha reta.

O desapego da “linha reta” é uma lição que ainda não aprendi inteiramente com o coração, pois sempre sofro com ela, mesmo sabendo de cor – com a cabeça – que a vida não segue em linha reta. A vida mais parece um emaranhado de linhas, e isso não é ruim. Talvez a vida nem seja uma linha…

Quando a gente se liberta, se entrega, toda aquela energia que gastávamos nos prendendo a alguma coisa está agora livre para ser empregada em algo novo. E acredito ser essa a força que usamos para nos reerguer.

Então eu espero com todo o meu coração que, caso você esteja perdido(a), consiga se entregar, deixar livre a sua energia e que consiga canalizá-la naquilo que realmente importa. Espero que você consiga se olhar, se aceitar, se fortalecer e se encontrar.

bahzofilaetc_se_perder_coisas_boas_acontecem

Fonte: Coisas Boas Acontecem